domingo, outubro 14, 2007

UM JEITO “LAEDA” DE SER



Quando falamos em qualidade na educação, ou educação de qualidade, normalmente nosso pensamento nos remete prioritariamente para questões como: melhoria das estruturas físicas das escolas, aumento das remunerações dos professores, apoio financeiro dos governos, boa aparelhagem das escolas, entre outros. Entretanto, embora constituam fatores importantes, nada disto irá resolver o problema da falta de qualidade nas escolas se não tivermos presente um requisito fundamental no processo de ensino/aprendizagem, um elemento não palpável, mas que é de extrema importância na diferenciação entre o que é bom e o que é ruim em termos de educação, esse elemento é a “determinação do professor”, isso mesmo, a vontade do docente de fazer a diferença. Sabemos que problemas como os supracitados sempre existiram e existirão na educação pública brasileira, e mesmo nas grandes instituições de ensino particulares, problemas diversos existem, como por exemplo, a pressão sofrida pelo professor que é, em alguns casos, praticamente obrigado a aprovar um mal aluno que paga em dia uma significativa quantia a título de mensalidade. Sabemos que mesmo resolvidos alguns problemas aparentes, sempre existirão ou surgirão outros para envolver a prática docente, mas a determinação de alguns professores serve não só de exemplo, mas também de estímulo para que possamos seguir acreditando na mudança do quadro educacional de nosso país.
Quando penso em qualidade na educação, vejo como relevante destaque a atuação da professora Laeda Bezerra Machado, do Centro de Educação da Universidade Federal de Pernambuco. A determinação apresentada por esta excelente mestra é digna de louvação por parte daqueles que acreditam que uma educação de qualidade pode levar o Brasil às mudanças e transformações que tanto almeja a nossa população. A procura pela melhoria da qualidade na produção de seus alunos, a valorização dos detalhes, a consciência de buscar a melhor maneira de desenvolver o processo em cada uma das suas diferentes turmas, entre outros atributos, fazem desta professora uma profissional diferenciada entre seus pares e admirada pelos alunos que pactuam de sua visão de educação, como diriam os antigos, uma profissional “de mão cheia”, uma professora que enfrenta até a resistência do aluno menos interessado em querer aprender, quando, entendo eu, a iniciativa deveria partir dele mesmo. Como costumo dizer, na relação professor/aluno, é sempre muito presente a máxima do: “faça o que eu digo mas não faça o que eu faço”, mas com a professora Laeda não, com ela podemos considerar o: “faça o que eu digo e faça o que eu faço”. Enfim, mais que um exemplo, uma esperança, um estímulo, parabéns professora Laeda, e todas as outras e outros professores que não se escondem por trás das dificuldades do processo, que enfrentam a vida de educador com prazer e determinação, na busca de fazer o melhor pela educação, pelos seus alunos e pela sua nação.

1 Comments:

Blogger THABATA said...

Não haveria melhor maneira de descrever as características principais que um educador deveria possuir. Tive o prazer de ser aluna de Professora Laêda e não me esqueço de seu engajamento em sala de aula. Ela merece.

8:58 PM  

Postar um comentário

<< Home

  • Assine meu Livro
  • Site de busca
  • Comprar